CTe3.0: O IMPACTO NAS GRANDES EMPRESAS

CTe3.0: O IMPACTO NAS GRANDES EMPRESAS

Como o CTe 3.0 irá impactar nas Grandes Empresas

Jorge Leandro Piva Blog 303 views 5 min. de leitura

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Os prestadores de serviço de transporte precisam seguir padrões de
documentação fiscal, o CTe 3.0 é a nova versão do Conhecimento de Transporte Eletrônico, um dos documento expedido pelas transportadoras, elas precisam atender as mudanças que o Governo exige para não ter problemas fiscais para a empresa.


O CTe é um documento fiscal que registra as mercadorias transportadas em
qualquer modal, seja rodoviário, ferroviário, aéreo ou qualquer outro que haja prestadores de serviço de transporte.


O documento possui validade jurídica garantida pela assinatura digital e pela
autorização do Fisco, por ser um documento eletrônico reduz os custos com
impressão, o tempo de paradas, erros de digitação, automatização, entre outros
benefícios para os prestadores de serviço.


A emissão do CTe é realizada após credenciamento junto a Sefaz, certificado
digital, acesso a internet e a um sistema que emita o documento CTe 3.0.
Algumas informações que antes eram obrigatórias foram excluídas no CTe
3.0 tais como: código identificador da operação de transporte (CIOT), dados da
seguradora, informações sobre vale pedágio, informações sobre o veículo e os
motoristas, lacres, informações sobre cargas perigosas, indicador de lotação, forma de pagamento, data de previsão de entrega e locais de coleta e entrega.


Além disso neste novo layout existe a possibilidade de emitir CTe para novos
serviços, transporte de pessoas, transporte de valores e excesso de bagagem, a nova modalidade é o Conhecimento de Transporte Eletrônico Outros Serviços (CTeOS), o novo documento expande as possibilidades de operações que podem ser registradas como CTe, substituindo a nota fiscal de serviço de transporte.


Muitas das informações excluídas do CTe 3.0 passaram para o MDFe 3.0 e
para o RNTRC, como o dPrev, lota e o CIOT.
Todas as mudanças nos documentos de prestadores de serviço de carga,
principalmente no CTe 3.0 foram impostas pelo Governo, por isso é importante que todas as empresas de transporte sigam a risca essas mudanças e não deixem para se adaptar sempre que houver alterações na forma de emissão de todos os documentos fiscais pertinentes.

Agende uma reunião  com um dos nossos especialistas da CotLog e conheça nossos diferenciais.

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO COMO FUNCIONA?

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
Jorge Leandro  Piva
Jorge Leandro Piva

Gerente de Logística na CotLog Soluções Logísticas. Profissional com 11 anos de experiência na área de logística, ampla experiência em logística inbound, de distribuição, transporte fracionado (aéreo e rodoviário), grande experiência na área de administração, facilidade na interpretação de números e resultados.Sempre aberto ao diálogo e a troca de experiências visando gerar o melhor resultado para a operação e maior maturidade da equipe.

Todos as publicações do(a) autor(a)

Deixe seu comentário aqui:

Artigos Relacionados